Um convite a derrubar muros

 

Leonardo Félix

 

 

 

O envolvimento que Deus exige que nós tenhamos em sua missão muitas vezes é impedido por muros invisíveis, construídos por posição social e medo. Não podemos tocá-los, mas eles estão lá todas as vezes que temos que chorar com os que choram, com aqueles que precisam sentir Cristo ao seu lado através de nós. 

Sugiro aqui algumas atitudes cristãs para por abaixo esses muros:

 

1. Responda: o que Deus diz que sou? (consulte a Bíblia) Você saberá que somos todo iguais, o mendigo na calçada e a madame, em seu automóvel de luxo e seu apartamento na praia.

No fim todos nós encontraremos com o Criador;

2. Sinta o cheiro, o calor, o clamor, a poesia e a dor das pessoas. Sempre que der, priorize estar onde há pessoas. É lá que onde a compaixão pode ser despertada para com as necessidades espirituais, sociais e psicológicas do próximo. 

3. Faça da missão uma questão de vida e morte - (é preciso conviver com esse paradoxo). A nossa consciência missionária não pode ficar restrita a eventos esporádicos (evangelismos, projetos missionários, conferências missionárias etc.). Todo cristão está vivendo para Deus (ou não) e como servos dele o glorificamos em tudo fazemos.

Coloquemos por terra os muros que te impede de manifestar Cristo ao mundo. Se leu esse texto atá aqui, só te falta a atitude.  Portanto, lembre-se do que disse Jesus:

"Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: 'Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo. Pois eu tive fome, E VOCÊS ME DERAM de comer; tive sede, E VOCÊS ME DERAM de beber; fui estrangeiro, E VOCÊS ME ACOLHERAM; necessitei de roupas, E VOCÊS ME VESTIRAM; estive enfermo, E VOCÊS CUIDARAM DE MIM; estive preso, e vocês me visitaram'" (Mt 25:34-26 - ênfase minha).

 

Fonte: Crítica Sagrada