Que tipo de soldado nós somos?

 

Ana Chagas

 

 

 

Texto Básico: II Tm 2.1-5; 2.15

Há seis considerações básicas acerca do Soldado de Cristo:

1.1- A partir do momento em que Cristo nos alcança, passamos a ser seus soldados, e como tal, entramos numa guerra espiritual (Ef 6.12; II Co 10. 3-5).

* As ideias que regem o mundo atual tentarão nos desviar da verdade da Palavra;

* O inimigo tentará nos parar, como quis impedir a Cristo de ir até a cruz;

* A nossa própria carne, a nossa natureza pecaminosa militará constantemente contra o espírito; para que não façamos o que desagrada a Deus; * Esta guerra é constante enquanto estivermos na terra.

1.2- O alistamento é automático:

É Deus quem nos escolhe- Jo 15. 16ª- “Eu escolhi a vos”; I Co 9.16- O Apóstolo Paulo diz: "Me é imposta essa obrigação; e Ai de mim, se não pregar este Evangelho."

Ao final da nossa vida de soldado de Cristo, poderemos dizer como Paulo: ”Combati o bom combate, completei a carreira e guardei a fé”? O Pastor Anderson Firmino, pregando no Culto de Encerramento do I Semestre do STEC, sobre "O caminho de um chamado"; levantou uma questão muito interessante: Se eu ou você morrêssemos hoje, será que poderiam escrever na nossa lápide: “Aqui jaz um homem, ou uma mulher que foi obediente ao seu chamado e deu frutos.”?

1.3- Temos propósitos definidos: Glorificar a Cristo e Pregar o seu Evangelho


* IPe 2.9- “Para que anuncieis as virtudes Daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”;

* Mt 5.16- “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem ao vosso Pai que está nos céus. ( não obras de caridade, mas testemunho de vida com Deus; acompanhado de frutos permanentes, isto é, permanecer firme na obra do Senhor, perseverar, não desistir.

1.4- O campo de batalha é lugar de dor e sofrimento

Aquele que se determina a estar no campo de batalha deve ter total consciência de que não será fácil.

O próprio Jesus alertou àqueles que o queriam seguir acerca das dificuldades, quando um escriba disse: Mestre, aonde quer que fores, eu te seguirei. Respondendo-lhe:"As raposas tem covis, e as aves tem ninhos, mas o Filho do homem não tem sequer onde reclinar a cabeça." E disse ainda em outra ocasião: "Aquele que quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a cada dia a sua cruz e siga-me." (Mt 16.24) Cruz é símbolo de sofrimento e de humilhação.(Sl 126.6; At 20.24; Jo 16.33)

1.5- A nossa recompensa não é passageira, como as que são recebidas neste mundo; mas é eterna

*Corremos por uma Coroa incorruptível e eterna (I Co 9.24-25). Devemos nos abster do pecado, e correr rumo ao alvo, de forma que venhamos agradar Àquele que nos chamou. II Tm 1.12 – “Mas eu sei em quem tenho crido e estou bem certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia.” O Apóstolo Paulo não esperava recompensas deste mundo, mas buscava algo eterno da parte de Deus.
* Promessas do Senhor para Aqueles que forem fiéis até o fim- Ap 2.7b- Árvore da vida; Ap 2.10b- Coroa da vida; Ap 2.11b; Não sofrerá o dano da segunda morte; Ap 3.21- reinarão comigo; etc. * O Senhor nos alerta a estar vigilantes e a perseverar- Ap 3.11- “Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.”

1.6-Aquele que nos convoca, conta conosco, e é Ele quem nos capacita. (Sl 18.32, 34 e 39)

A nossa capacidade não vem de nós mesmos; mas vem de Deus. Ele quem nos chama, Ele é quem nos prepara; e é Ele quem nos envia.

Diante de todas estas realidades, cada um, tendo a convicção de que é um Soldado do Senhor, deve refletir ainda sobre algo muito importante:QUE TIPO DE SOLDADO NÓS SOMOS?

1º) SOMOS O SOLDADO OMISSO?

CARACTERÍSTICAS:
a) Ele não se apresenta quando é convocado- É aquele que se omite ante a Missão e a convocação. O Profeta Jonas é um grande exemplo de um soldado que se omitiu quando convocado.Deus, porém, mostrou a Jonas que é misericordioso; não desiste de nós; por isso, usou de Misericórdia para com ele, dando-lhe uma segunda chance, através daquele grande peixe. Da mesma forma, Ele nos alerta no dia de hoje, para que não desperdicemos a oportunidade de obedecer ao Senhor à sua primeira ordem. Pois , correr atrás da chance desperdiçada nem sempre é fácil.. O Profeta Jonas que o diga; pois chegou à Nínive todo vomitado por um grande peixe; para que cumprisse a Ordem do seu General.
b) Ele desperdiça as oportunidades- Muitas vezes ouvimos falar sobre a Igreja Perseguida e encaramos isso como algo tão distante da nossa realidade; oramos, mas não temos a noção da dimensão do que é ser perseguido por amor de Cristo. Aqui no Brasil, nós os cristãos, também temos sofrido algum tipo de perseguição, ou até mesmo, ameaças, rumores de futuras perseguições por causa do Evangelho.
* Aqui no Brasil estamos prestes a perder a liberdade de pregar A VERDADE DA PALAVRA contra o pecado e de adorar ao Senhor publicamente. Há alguns projetos de Lei que tramitam em Brasília, que podem ser aprovados; que põe em sério risco a Pregação do Evangelho. (Para saber mais, o link sobre estas Leis estão no rodapé da postagem)
Não basta apenas orar em relação a isso, é necessário agir. Como? Remindo o tempo, porquanto os dias são maus, aproveitando cada oportunidade. Somos soldados de Cristo? Então devemos nos apresentar para esta batalha, e não nos escondermos.
*Temos sofrido ainda outro tipo de perseguição aqui no nosso País, e não é algo distante de nós, mas dentro de nós mesmos: A perseguição do nosso próprio EGO. Temos nos acomodado e nos omitido atendendo a nossa própria vontade, e não a de Deus. ü Temos afirmado que conhecemos a Palavra de Deus. Mas... E a prática de tudo aquilo que temos aprendido em relação aos que se perdem? * Temos realizado tantas coisas que ficam restritas às paredes dos nossos templos, coisas ligadas exclusivamente à igreja; mas... E a obra missionária para a qual cada soldado foi convocado? Como tem sido encarada por cada um de nós? Deus diz que não quer sacrifícios, mas quer que exerçamos a misericórdia (Mt 9. 13 e 12. Onde está a nossa misericórdia pelos que perecem? Onde está a nossa obediência?
No livro de Tiago Temos muitos ensinamentos acerca da verdadeira vivência do Evangelho: Ele diz que a fé sem as obras é morta (Tg 2.17). E diz ainda que o conhecimento da Palavra sem a prática é inútil (Tg 1.22 e 25). Diz ainda que aquele que sabe o bem que deve fazer e não o faz, comete pecado (Tg 4.17).

2º) SOMOS O SOLDADO DESERTOR?

CARACTERÍSTICAS:
a) Ele vai à guerra, porém, quando tem que enfrentar as dificuldades; desiste, recua- Deus não se agrada daquele que recua - Hb 10.38; Quem põe a mão no arado e olha para trás não é apto para o Reino de Deus- Lc 9.62.
b) Ele alimenta um sentimento de derrota- (Se verdadeiramente estamos em Cristo, temos a convicção de que somos mais que vencedores Rm 8.37- e não estamos falando aqui de triunfalismo, mas de uma igreja que deve marchar triunfante contra as portas do inferno).
c) Ele perde a esperança e os seus ideais- para de olhar para Cristo e para a urgência da pregação do seu Evangelho. Abandonou a esperança da salvação, desertou.
d) Ele não quer sofrer- O Apóstolo Paulo sofreu tanto por amor do Evangelho, porém; em meio a todo o seu sofrimento, pôde afirmar: “Para mim tenho por certo, que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revalada- Rm 8.18).
e) Ele se envergonha do Evangelho de Cristo- Ninguém sabe que ele é crente no meio em que ele convive: Universidade, trabalho, etc. O Apóstolo Paulo afirmava com intrepidez as seguintes palavras: "Porque não me envergonho do Evangelho de Cristo, porque é o Poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê..." Rm 1.16 Quantos de nós temos nos envergonhado e perdido as oportunidades de proclamar o Evangelho àqueles que estão ao nosso redor?
f) Ele começa a confundir-se acerca de quem é o seu verdadeiro inimigo e começa a mirar no alvo errado- Em I Pe 5.8 está escrito que o nosso inimigo é o Diabo, e não o nosso próprio irmão. Muitos tem ficado à beira do caminho por ter sido alvo de ataque ou mesmo por ter atingido algum companheiro de guerra. Um reino levantado contra si mesmo não prevalecerá. Precisamos estar vivendo o verdadeiro cristianismo, amando os nossos irmãos, dando-nos as mãos e prosseguindo rumo ao alvo, mirando no inimigo certo: O Diabo. A nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra os principados e potestades, contra tudo aquilo que fere a Verdade da Palavra de Deus (Efésios 6.12).
3º) OU SOMOS O SOLDADO OBEDIENTE?
CARACTERÍSTICAS:
a) Reluta diante da convocação, pois reconhece as suas limitações;logo se rende, sem argumentos diante do General- Ex.: MOISÉS: “Sou pesado de língua” (provavelmente ele era gago). “Quem fez a boca do homem? Ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou Eu, o Senhor? Vai, pois, agora eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar.” GIDEÃO- “A minha família é a mais pobre em Manassés, e eu, o menor da casa do meu pai” (considerava-se inferior) “Vai nessa tua força”; ISAÍAS- “Sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de impuros lábios.” (Considerava-se indigno de pregar). “O anjo tocou com uma brasa viva do altar e o purificou dos seus pecados” JEREMIAS- “Não passo de uma criança” (Considerava-se sem experiência para a obra). “Não digas Sou uma criança. Porque aonde eu te mandar irás, e tudo quanto te mandar dirás. Não temas diante deles, porque Eu sou contigo para te livrar”.Percebemos nos trechos citados acima, que cada um desses soldados relutou, sentiu insegurança. Contudo, não há como resistir ao propósito Divino; não há como argumentar contra o mandato de Deus, não há como fugirmos do chamamento de Deus para com a nossa vida. Ele nos atrai com seu amor eterno, e somos constrangidos por esse imenso amor, que envolve todo o nosso ser, a nos dobrarmos diante da sua vontade e do seu senhorio sobre as nossas vidas. Assim, todos aqueles homens que o Senhor havia convocado, mesmo relutando, foram convencidos por Deus de que ELE é o Dono e Senhor da Obra, que apenas eram instrumentos usados por Ele, a fim de que Muitos se chegassem a Ele e que o Seu Nome fosse glorificado. 16.15. 2.4
b) Ele não se embaraça com os negócios deste mundo- II Tm 2.4. Pecados não confessados; permanência no pecado; problemas de caráter ainda não tratados por Deus; tudo isso significa estar embaraçado e por isso não conseguiremos avançar, enquanto isso não for resolvido com Deus (Pv 28.13); 3) Ele está disposto a sofrer até as últimas conseqüências pela sua obediência.
Os mártires que morreram apedrejados, ou nas arenas comidos por leões ou ainda queimados vivos sofreram até as últimas conseqüências, os cristãos da Igreja perseguida tem sofrido até as últimas conseqüências; defendendo a verdade da Palavra de Deus, deste Livro perigoso. E nós? O que temos feito? · Nós só conseguiremos vencer se estivermos cheios do Espírito de Deus; se tivermos um relacionamento profundo com Ele e com a sua Palavra, pois estas mudanças de atitude partem de uma transformação interior, e só podemos desfrutar destas mudanças, quando buscarmos ao Senhor de todo nosso coração, para que o possamos achar. · Desejo que não estejamos inseridos no grupo de soldados omissos, nem no grupo de soldados desertores; mas que sejamos Soldados obedientes.

Sejamos obedientes e diligentes em cumprir o propósito missionário do coração de Deus, que quis que eu e você fôssemos parte deste lano, no que diz respeito à proclamação da sua Palavra. E para isso, devemos ter como lema as palavras de Jesus: “CONVÉM QUE EU FAÇA AS OBRAS DAQUELE QUE ME ENVIOU ENQUANTO É DIA; A NOITE VEM, QUANDO NINGUÉM PODE TRABALHAR.” (Jo 9.4)

 

Fonte dos dados sobre a perseguição aos cristãos no Brasil:
http://www.ai5piaui.com/noticia.php?id=1336# ( a página já não existe mais)

(Esta Reflexão foi trazida em um dos Cultos de Missões da Congregação da Ilha do Bispo, em João Pessoa-PB, logo após ter sido passado o Filme disponibilizado no Site Portas Abertas "O Livro Perigoso". 

 

Fonte: Compaixão pelas Almas