O exemplo de Rute: Relacionamentos bem-sucedidos

 

Ana Chagas

 

 

Texto: Rute 1.1-18

 

Relacionamento é e sempre será um tema de grande relevância em qualquer época ou lugar, pois o ser humano foi criado por Deus como um ser sociável, que deve viver em uma constante e harmoniosa interdependência com o seu criador e com seus semelhantes. Mas, ao observarmos a saúde dos relacionamentos temos um panorama bem preocupante e bem diferente do que deveria ser. A falta de amor, o orgulho e os temperamentos descontrolados nos levam a viver em constantes conflitos; não pedimos perdão, não perdoamos, não pedimos perdão, não demonstramos amor, acabamos relacionamentos por causa de ambição e egoísmo; traímos com facilidade, não somos sinceros; e ainda, por causa de falhas nossas e dos outros para conosco e da falta de perdão, até deixamos de congregar em nossas igrejas. As pessoas já

planejam seus casamentos pensando no seu fracasso, pois esta é a visão da maioria das pessoas hoje em dia. As pessoas estão cada vez mais isoladas umas das outras. Por ambição, traímos deliberadamente.  Os relacionamentos familiares têm sido destruídos pelo individualismo, pelo orgulho, pela violência física, psicológica e emocional, e, pela falta de amor, de diálogo e de comunhão, as pessoas já não têm um LAR. E, infelizmente, até mesmo dentro das igrejas, o termo “divórcio tem-se tornado um termo e um fato comum. Sufocamos e oprimimos aqueles que deveriam ser alvo do nosso amor.
Diante deste triste panorama, podemos ter esperança de que nossos relacionamentos podem ser bem-sucedidos?


A narrativa da vida de Rute foi escrita no período do reinado de Davi, ou imediatamente após este período. A história que o autor busca registrar ocorreu bem antes, no período em que o Senhor levantava juízes para julgar o povo quando este clamava a Ele. O intuito do autor era exaltar a forma gloriosa como Deus trabalha na história para que seus santos propósitos sejam estabelecidos, era chamar a atenção dos seus possíveis leitores como Deus poupou a vida de Noemi e lhe deu como nora uma moabita, cuja descendência estava impedida de tomar parte no culto judaico por dez gerações pelo fato de ter desprezado o povo de Israel durante o êxodo, contratando até mesmo profetas para amaldiçoar um povo cujo Deus já havia abençoado; e ainda, como Deus preservou um resgatador para a descendência de Noemi, dando-lhe um neto (Obede) que seria justamente avô do rei Davi, cuja reinado glorioso era contemplado por ele e pelos seus leitores.
Quanto à história de Rute, Noemi seguia com suas duas noras de volta à sua terra, a Palestina, de onde havia saído há mais de dez anos com o seu esposo Elimeleque. Lá em Moabe, onde viveram durante todos estes anos, seus filhos haviam se casado com mulheres moabitas, porém, durante todo esse tempo, elas não tiveram filhos para dar continuidade à descendência. Ao longo do tempo, certamente em meio às guerras, morreram o seu esposo Elimeleque e também seus dois filhos, Quiliom e Malom. Noemi e suas duas noras estavam agora viúvas e desamparadas. Noemi ouve que o Senhor se lembrara do seu povo e os socorrera da calamidade; e por isso decide voltar para o meio de seu povo. Em certo ponto do caminho, Noemi aconselha suas noras a que voltem para a sua terra e lá consigam possivelmente um novo casamento e que sejam felizes. Orfa reluta, mas, logo se despede de sua sogra e segue seu rumo. Rute, porém, se apega à sua sogra e nega-se a deixá-la.


PODEMOS DESTACAR TRÊS PONTOS IMPORTANTES NESTA ATITUDE DE RUTE:

  1. RUTE TOMOU UMA DECISÃO RADICAL
  2. Entre o seu bem-estar e o bem-estar de Noemi (1.9-13; 20-21);
  3. Entre a sua cultura e a cultura de Noemi;
  4. Entre a sua herança religiosa e o Deus Vivo de Noemi.

 

  1. RUTE ESTAVA DISPOSTA A SUSTENTAR A SUA DECISÃO ATÉ O FIM (1.16,17)
  2. Mesmo sabendo que ainda enfrentariam muitas dificuldades;
  3. Mesmo diante da amargura de Noemi, a qual ainda não conseguia enxergar o propósito de Deus em meio àquelas tantas calamidades; (1.20,21);
  4. Mesmo não tendo esperança de quaisquer benefícios provindos deste relacionamento;
  5. Mesmo diante da possibilidade de enfrentar os conflitos que podem surgir na convivência
  1. A SUA DECISÃO TINHA UMA BASE FIRME E INABALÁVEL, POIS MANTINHA UM RELACIONAMENTO COM O DEUS DE NOEMI (1.16B; 4.15B)
  2. Só o Amor nos esvazia de nós mesmos (Fp 2.2-8);
  3. Só o Amor tira a nossa visão das coisas e a coloca nas pessoas;
  4. Só o Amor quebra o nosso orgulho;
  5. Só o Amor nos faz honrar o próximo mais que a nós mesmos (Rm 12.9-21);
  6. Só o Amor nos faz suportar as diferenças (1 Co 13.4-7);
  7. Só o Amor nos faz fiéis em nossos relacionamentos;
  8. Só o Amor de Deus fluindo em nós para com o outro prova que de fato conhecemos a Deus (Mt 5.43-48 ; 1 Jo 4.7-8);
  9. Só o Amor nos faz dedicados ao zelo por aqueles que são objeto do nosso amor;

 
PODEMOS CONCLUIR AFIRMANDO QUE RUTE FOI ABENÇOADA PELO DEUS SOB CUJAS ASAS ELA HAVIA BUSCADO ABRIGO (2.11-12)
MESMO SENDO UMA ESTRANGEIRA E VIVENDO NUMA ÉPOCA EM QUE NINGUÉM PODIA CONHECER OS ENSINAMENTOS DE JESUS, DE PAULO, DE JOÃO E DE TANTOS OUTROS QUE VIVERAM EM UMA ÉPOCA BEM POSTERIOR À SUA ÉPOCA (NOVO TESTAMENTO), AOS QUAIS TEMOS ACESSO HOJE; RUTE EVIDENCIA UMA VIDA GUIADA PELO TEMOR AO DEUS DE NOEMI; O DEUS DE NOEMI AGORA É TAMBÉM O SEU DEUS! E ELA ACHA GRAÇA AOS OLHOS DO SENHOR, O QUAL A GUIA, ABENÇOA E TEM UM GRANDE PROPÓSITO A REALIZAR POR MEIO DE SUA VIDA, EMBORA RUTE NEM IMAGINE A SUA DIMENSÃO.

  1. Boaz é usado por Deus, em meio à calamidade, como instrumento para preservar a ela e à descendência de sua sogra (2.15-16);
  2. Noemi, sua sogra começa a vislumbrar esperança. Ela se importa com a felicidade de Rute e a instrui a pedir que Boaz seja o seu resgatador (3.1-5,9);
  3. Rute fala com sabedoria e prudência, e Boaz exalta a sua atitude e o seu testemunho. (3.10-11; Pv 31.29-31);
  4. Boaz assume diante de testemunhas que resgataria as terras de Elimeleque, Quiliom e Malom e que tomaria por mulher a Rute, a moabita, já que o outro possível resgatador não quis ou não podia fazê-lo (4.5, 9-10);
  5. Todo o povo e os anciãos abençoam a união de Rute e Boaz e pedem que Deus faça Rute conceber (4.11-12)
  6. Rute dá à luz a Obede que foi o avô do rei Davi, de cuja descendência nasceria o Messias (Mt 1.1-16);
  7. Noemi também é abençoada, tendo agora um neto que seria o seu resgatador e consolador. (4.14-17).

 

PRECISO, COMO RUTE:

  1. Manter um relacionamento íntimo com Deus e assim, ser capaz de relacionar-me bem com as pessoas;
  2. Viver com temor e fidelidade diante de Deus;
  3. Estar sensível à voz de Deus, para tomar a decisão certa;
  4. Amar a partir do modelo de Deus: estabelecer relacionamentos bem-sucedidos; envolver-me com o outro, sem buscar recompensas;
  5. Perseverar na minha decisão; para a glória de Deus, em quem me abrigo;
  6. Viver meus relacionamentos na dependência de Deus e agir direcionada por Ele, confiando na sua
    Soberania.

     TAMBÉM APRENDO COM NOEMI, E DEVO CRER:

  1. Que Deus intervém em situações onde não há mais esperança;
  2. Que precisamos valorizar aqueles que Deus coloca ao nosso lado;
  3. Que enquanto apenas olhamos para o problema, sem fé, ele continuará sem solução; mas quando confiamos no Senhor, Ele nos dá a estratégia certa;
  4. Que o silêncio de Deus não significa que Ele está alheio ao que acontece conosco;
  5. Que as perdas e calamidades da nossa vida não significam que Deus não nos ama;
  6. Que Seus santos propósitos serão estabelecidos; e que são perfeitos e eternos.

 

Que possamos elevar as nossas vozes e inclinar o nosso coração na presença de Deus e fazer destas palavras a nossa oração:


“Senhor, eu compreendo que posso ter esperança de que Tu estás sempre pronto a redimir o teu povo, bem como redimir a minha história; sarando e restaurando os meus relacionamentos. Compreendo que o meu relacionamento com as outras pessoas dependem de como está aminha vida contigo. Peço que moldes a minha vida em tuas mãos, assim como o oleiro fez um novo vaso daquele que se quebrou. Creio que Tu estás comigo, e que, independente de quão difíceis e desesperadoras sejam as circunstâncias em que se encontram os meus relacionamentos, eles podem se tornar relacionamentos bem-sucedidos! Ajuda-me a fazer a minha parte para que de fato sejam. A tua Palavra me ensina que, enquanto depender de nós, devemos manter a paz com todos. Ajuda-me a construir novos e bons relacionamentos com meus vizinhos, com aqueles que estão à minha volta, e ainda, a colocar em prática os teus ensinamentos e assim, ver meus relacionamentos que agora se encontram em perigo restaurados, para a glória do Teu Nome. Em nome de Jesus teu Filho eu te peço e te agradeço. Amém.”