Congregacionalismo, o que é isso?

 

Congregacionalismo é a forma de governo de Igreja em a autoridade repousa sobre a independência e a autonomia de cada Igreja local. Este tem sido declarado como o sistema primitivo que representa a forma mais antiga de governo da Igreja. O Congregacionalismo moderno, no entanto, data a partir da Reforma Protestante.
Já em 1550, há indícios de homens e mulheres se reunindo para pregar a Palavra de Deus e administrar os sacramentos como separados da Igreja nacional da Inglaterra (Anglicana).
Quando ficou claro que a rainha Elizabeth I não tinha a intenção de uma reforma radical da Igreja inglesa, o número dessas comunidades separadas aumentou.
Robert Browne, o primeiro teórico do sistema, insistia em que estas «igrejas separadas", deviam ser independente do Estado e ter o direito de governarem-se a si próprias, estabelecendo assim as linhas essenciais do Congregacionalismo como o conhecemos hoje.
Desde o 1580 os Brownistas (como passaram a ser chamados estes dissidentes) aumentaram em número e os contornos do congregacionalismo tornaram-se mais claramente definidos; igrejas foram formadas em Norwich, Londres, Scrooby e Gainsborough.
O movimento foi impulsionado pela perseguição. Alguns destes separatistas migraram para a Holanda (1607) e depois (1620) para os Estados Unidos da América, onde o Congregacionalismo foi influente na formação tanto da religião quanto da política daquele país.
Na Inglaterra os Independentes (como também eram chamados) formaram a espinha dorsal do exército de Oliver Cromwell. Seus teólogos defenderam a sua posição congregacionalista na Assembléia de Westiminster e os seus princípios foram reafirmados na Declaração Savoy de Fé e Ordem, em 1658.
Mesmo sendo autônomas esta independência das igrejas Congregacionais não as coloca em completo isolamento. Elas reconheceram o vínculo de uma fé comum e de uma ordem e formaram Associações locais de apoio mútuo e estreitamento de relações.
A União Congregacional da Escócia foi formado em 1812; a da Inglaterra e País de Gales em 1832.
Estas uniões não tinham qualquer autoridade legislativa, mas serviram para aconselhar as igrejas e exprimir as suas idéias em comum.
Em 1972 a maior parte das Igrejas Congregacionais na Inglaterra e no País de Gales se uniu com a Igreja Presbiteriana da Inglaterra para formar a Igreja Reformada Unida. Muitas igrejas que não concordaram com esta união formam hoje a Federação Congregacional e a Comunhão de Igrejas Evangélicas Independentes.
Nos E.U.A. na maior parte das Igrejas Cristãs Congregacionais, em 1957 ingressou com a Igreja Evangélica Reformada em uma união para formar a Igreja Unida de Cristo. As igrejas que não concordaram com esta união formaram outras associações até hoje existentes, com destaque para a Associação Nacional de Igrejas Cristãs Congregacionais e para a Conferência Cristã Conservadora Congregacional.

 


Adpt. Joelson Gomes

The Concise Oxford Dictionary of the Christian Church 2000, originalmente publicado por Oxford University Press, 2000.

 

Os primeiros Congregacionalistas

A maneira Congregacional de igreja na Inglaterra provavelmente tenha seu nascimento em 1567,[1] num pequeno grupo de cerca de cem irmãos que insatisfeitos com tudo o que estava acontecendo dentro da igreja inglesa, começou a se reunir para adorar secretamente no “Salão Plumbers”, Londres. Eles eram chamados de “a Igreja de Privye”,[2] (ou Igreja Privada) transformando-se esta na primeira das muitas congregações separatistas de protesto na Inglaterra. O ajuntamento foi considerado ilegal pelas autoridades, e em 19 de Junho de 1567, e segundo o proeminente historiador Congregacional Williston Walker, os seus membros foram presos, açoitados em público ou mortos.[3] Este dia é considerado por muitos historiadores como o dia da origem moderna da maneira Congregacional de ser igreja.[4]

A congregação do Salão Plumbers foi assim dispersa, mas foi logo reorganizada, e agora com mais clareza de sua finalidade. Os seus membros fizeram um pacto entre si para adoração a Deus de acordo com sua compreensão puritana. Mas, mais uma vez foram descobertos, diversos membros foram novamente presos, e outros junto com seu pastor Richard Fitz foram mortos. Mas, a chama não se apagou e a história da Igreja Congregacional é longa, rica, linda e inspiradora.

Primeira Igreja Congregacional, Washington (EUA)


___________________
NOTAS

[1] CAIRNS, Earle E. O Cristianismo Através dos Séculos (São Paulo: Vida Nova, 2006) p. 275.

[2] Conforme “The Reformation in England” em <http://www.ucc.org/about-us/short-course/the-reformation-in-england.html> Acesso em 08/07/07.

[3] História da Igreja Cristã, 2a ed. (São Paulo: JUERP/ ASTE, 1980), p. 547. Conforme também <http://www.usgennet.org/usa/topic/colonial/religion/history.html> Acesso 08/12/07.

[4] Conforme <http://chi.gospelcom.net/DAILYF/2002/06/daily-06-19-2002.shtml> Acesso em 08/12/07.

 

Tradição de Pioneiros

Os Congregacionais foram muito ativos e pioneiros em diversos aspectos.
Nas questões sociais, sendo defensores da abolição da escravatura e também muito ativos na questão educacional. Conscientes do valor de líderes treinados e de uma abordagem mais racional da fé, as Igrejas Congregacionais iniciaram um programa de organização e sustento de faculdades que tem durado até hoje. A primeira de uma longa lista foi a Universidade de Harvad fundada em 1636. Depois vieram Yale, Amhurst, Bowdoin, Carlton, Grinell, Dartmouth, Mount Holyoke, Oberlin, Pacific, Pomona, Smith e Wellesley e muitas outras.[1]Os cristãos Congregacionais sempre foram vanguardistas em vários feitos na história do protestantismo mundial.

 

A seguir algumas áreas onde este pioneirismo dos Congregacionais se fez sentir:

 

a) Educação.

1- A escola pública mais antiga que tem funcionado nos Estados unidos da América foi fundada pelos Congregacionais em 1635.

2- Também em 1636 os congregacionais fundaram o Harvard College, para servir como centro de treinamento para os futuros pastores, o que veio a se tornar a Universidade de Harvard.
3- Em 1701, foi fundado o que hoje se chama a Universidade de Yale, cujo primeiro nome era Collegiate School, com o propósito de treinar os futuros pastores das igrejas.
4- Em 1817, o Pr. Thomas Gallaudet abriu um asilo em Connecticut para a instrução de surdos e mudos. Em 1856 este estabelecimento foi nomeado a mais antiga universidade para surdos aberta em Washington, e a primeira escola para a comunidade surda na América do norte.
5- Em 1833 os Congregacionais fundaram o Oberlim College, em Ohaio. Este foi o primeiro colégio dos Estados Unidos a atribuir a quatro mulheres a sua colação de grau.
6- Os Congregationalistas organizaram o Seminário Teológico de Andover, em 1807. Este é o primeiro seminário do protestante em América.

b) Imprensa.

1- O The book Salmos Bay, foi o primeiro livro a ser publicado nos Estados Unidos, e a Pilgrim Press (Editora hoje dirigida pela United Church of Christ, maior denominação congregacional americana), a mais antiga editora.

2- A primeira Bíblia impressa na America do Norte foi uma tradução feita pelo congregacionalista John Eliot, na língua indígena Algonquin, em 1663. Eliot tinha começado a pregar na língua desse povo desde 1646.

c) Direitos Humanos.

1- Os Congregacionais foram os primeiros a se opor a escravidão. Sua luta começou em 1700, quando o puritano Samuel Sewall, chefe de justiça do Superior Tribunal de Massachussets, escreveu o primeiro tratado antiescravagista da América.
2- Em 1735, Phillis Wheatley foi a primeira negra a ter seus escritos publicados. Sendo ela uma Congregacional.
3- Em 1785, a Igreja Congregacional em Granville, Massachussets, colocou o negro Lemuell Hynes como seu ministro. Ele foi o primeiro africano americano ordenado pastor em uma das principais tradições protestantes americanas.
4- Em 1839, o congregacional John Quincy Adams apelou perante o supremo Tribunal de justiça pela liberdade dos escravos-Amistad, que estavam mantidos cativos a bordo da escuna[2] Amistad[3], depois de terem sido vendidos ilegalmente para a escravatura. Este foi o primeiro caso de Direitos Humanos argumentado no supremo Tribunal dos Estados Unidos. Os Congregacionais também lideraram o esforço para formar a Comissão Amistad, para educar e cuidar dos cativos. Esta comissão evoluiu mais tarde tornando-se a Associação Missionária Americana. Após a Guerra Civil (1861-1865), esta associação trabalhou com africanos americanos que encontrou. Também foram formadas centenas escolas e igrejas em todo sul do país, para educar os escravos libertos e seus filhos. Estas se tornaram nas primeiras escolas inter-raciais dos Estados Unidos, com os brancos viajando para o Sul, para ensinar nestas escolas. As escolas eram freqüentadas por filhos de escravos e de libertos, e também pelos filhos dos próprios professores.
5- Foi o Congregacionalismo pioneiro na valorização da mulher, sendo que a primeira mulher consagrada ao ministério foi em uma igreja Congregacional, Antoinette Brown, em 1853.[4]

 

NOTAS

_______________
[1] Conforme <http://pilgrimcongregationalchurch.org/home.cfm> Acesso 02/02/2008

[2] Antigo navio a vela.


[3] Sobre o fato foi feito um filme de sucesso por Steven Spilberg, Amistad (1997).


[4] Conforme < http://www.bwayucc.org/history_firsts.php> Acesso em 24/05/2008.

 

Quer conhecer mais sobre a História do Congregacionalismo no Brasil e no Mundo?

 

Então acesse o Blog História Congregacional, do Pr. Joelson Gomes

 

Nossos agradecimentos ao Pr. Joelson Gomes por ter cedido o material de sua pesquisa no seu Blog História Congregacional para utilizarmos aqui no Site da Primeira IEC João Pessoa-PB.

 

O Pr. Joelson Gomes é pastor auxiliar na nossa igreja e é também o Editor do DERP Nacional e local, professor e Diretor do Seminário Congregacional- STEC em João Pessoa/PB.

Pr. Joelson também é o Autor do Blog Graça Plena.