Ambição e cobiça: A medida do TER nunca enche  

 

Ana Chagas

 

 

 

Por que o ser humano é tão insaciável em todos os seus desejos? Por que estamos sempre insatisfeitos com o que temos e com quem somos?
Textos: "Todo trabalho do homem é para a sua boca; e, contudo, nunca se satisfaz o seu apetite." (Eclesiastes 6.7)
"Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e

perdição. Porque o amor ao dinheiro é a raíz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores." (I Tm 6.7-10). (Ainda há muitos outros textos relacionados, por exemplo: Ec 3.12-13; Ec5. 8-20; Pv 30. 8-9;Pv.30.15.)É incrível como o ser humano é insatisfeito consigo mesmo. Vamos até um salão e lá, o que vemos? De um lado está uma mulher cacheando seus cabelos lisos, do outro está outra alisando o seu cabelo crespo. Há pessoas que são de estatura menor e querem ser altas, e há altas que desejariam ser "baixinhas", e assim vai. Não estou falando que as pessoas não devam cuidar da sua beleza, da sua higiene, etc. mas, estou falando que todos os extremos nesse sentido são perigosos; pois há pessoas que dão tudo para mudar totalmente a sua verdadeira aparência, outras, para satisfazer um padrão de beleza ditado pela mídia, adquirem anorexia e até morrem por inanição ou em mesas de cirurgia plástica em nome da "busca da satisfação consigo mesmas", outras, desenvolvem bulimia e uma aversão cada vez mais forte à sua própria estética.

E quanto ao que possuímos ou desejamos possuir, será que é diferente?
O assunto em questão abrange todas as áreas da nossa vida. Quer percebamos quer não, muitas vezes o que tem regido as nossas atitudes é o desejo insano de agradar aos outros; de parecermos com eles, de termos algo em comum com eles, com a finalidade de sermos aceitos no meio deles. Isso tudo é uma grande ilusão.
Vivemos numa época em que o mundo gira em torno do materialismo; onde, no popular, as pessoas "valem" pelo que têm; ou ainda: "Quem é pobre não tem valor algum". Esta é a ditadura atual. E este pensamento tem encontrado guarida no coração de muitas pessoas e, infelizmente, até no coração de alguns líderes cristãos, os quais deixaram de pregar o Evangelho verdadeiro de Cristo para pregar prosperidade; exatamente aquilo que agrada os ouvidos do homem pós-moderno, exatamente o "negócio da hora". Líderes com pensamento antropocêntrico quando pregam geram cristãos também antropocêntricos; pois dão destaque àqueles que ofertam mais, que dizimam mais cuja medida do ter nunca enche, onde Deus passa a ser colocado no canto da parede para satisfazer-lhes a sua ganância e ambição terrenas. Deus nos livre desse tipo de pregador!

 

A Palavra do Senhor nos alerta acerca da ganância. O Apóstolo Paulo fala que se tivermos o que comer e com que nos vestir, devemos estar satisfeitos e contentes. Mas, na realidade, será que fazemos assim?
O que vemos são pessoas que, por causa desta insatisfação crônica, passam a agir, não mais guiados pela razão, mas pela ambição e pela ganância. Não são guiadas pelo temor ao único Deus Vivo e Santo, mas pelas suas próprias paixões terrenas.
Por que será que a criminalidade tem aumentado tanto? Por que é que o tráfico de drogas tem se tornado a profissão sonhada pelos meninos das favelas? É exatamente porque eles estão contaminados por esta mesma mentalidade de que precisam "TER" para serem alguém, e o "alguém" que eles vêem “se dar bem” de maneira fácil, se vestindo com roupas de marca, rodeado de mulheres, interesseiras em sua maioria, é o chefe do tráfico. Por isso os sonhos bons de nossas crianças para o seu futuro foram roubados, mesmo sem terem experimentado entorpecentes.

 

Se faz necessário o resgate dos valores corretos nas mentes destas crianças, do contrário,o que será do futuro delas? Precisam saber que o valor do homem está em seu caráter e NÃO naquilo que ele possui não importando os meios pelos quais os adquiriu.

 

Fonte: Blog Conectado na Bíblia